Entenda como funciona a educação no Brasil

A educação é obrigatória no Brasil entre as idades entre 7 e 14, e também em escolas públicas. Crianças com menos de 6 anos podem frequentar a assistência à infância antes de se matricular durante 5 anos na escola primária conhecida como escola primária – 1. Após um ano de alfabetização, eles chamam a atenção para aprender inglês, geografia, história, matemática, ciências, artes e educação física. Este currículo básico pode ser estendido para atender às necessidades locais e habilidades de alunos individuais.

Quando as pessoas falam sobre o que retém o Brasil, a educação cai na lista (junto com a infra-estrutura). A má qualidade do sistema de educação pública brasileira limita a capacidade e a adaptabilidade dos alunos, cria desajustes entre as habilidades dos trabalhadores e as necessidades das empresas e reprime a produtividade e o empreendedorismo. Esses limites afetam toda a economia – dificultando o crescimento econômico, a competitividade, a pesquisa e o desenvolvimento e até a produção de petróleo (como a Petrobras tem lutado para encontrar trabalhadores qualificados para suas descobertas de pré-sal). https://plus.google.com/105566057955870860620/posts/KW1R1Y5JdFW

O Brasil agora ocupa o cinquenta e três (em sessenta e cinco países) em leitura, matemática e ciência no exame PISA, desde o último passado em 2000, mas ainda atrás do México, Romênia, Tailândia e Rússia. Mas talvez o mais marcante do sistema educacional sejam as grandes disparidades do país. As várias universidades públicas de alta qualidade do Brasil – incluindo a Universidade de São Paulo, uma universidade reconhecida internacionalmente – justapor um sistema notoriamente fraco de escolas primárias e secundárias.

Senac Rio

Em parte, isso tem a ver com o financiamento. Um pedaço considerável do orçamento federal da educação – cerca de 5,5% do PIB – vai para o ensino superior, do que por aluno da escola primária. Este alto investimento pesado beneficia desproporcionalmente os ricos, cujos filhos realizam melhores resultados nos testes de inscrição na universidade depois de passar seus anos de ensino fundamental, médio e médio em escolas privadas.

A falta de dinheiro nos níveis inferiores traduziu-se em poucas escolas primárias e secundárias. Com mais alunos do que salas de aula, estudantes brasileiros rodam através de escolas em turnos, com alguma aula participante por apenas quatro horas por dia. Também não há professores suficientes; com vinte e três crianças brasileiras para todos os professores do ensino fundamental, muito acima da média da OCDE de quinze.

Fases da Educação no Brasil

Educação média

O currículo é semelhante ao ensino primário – 2, que dura mais 4 anos, exceto que são adicionadas 2 línguas estrangeiras (geralmente inglês e espanhol). São prescritas 800 horas de atividades. Cada classe geralmente é atendida por um único professor.

Educação secundária

A conclusão das fases 1 e 2 da escola primária é uma condição necessária para entrar no ensino médio do ensino médio. Os temas principais incluem português, brasileiro e um terceiro idioma – geralmente inglês, além de uma grande variedade de assuntos acadêmicos também. Paralelamente, durante os anos 2 e 3, cursos de formação profissional, como a agricultura, podem ser adicionados.

Educação vocacional

O Brasil entende que sua competitividade depende em grande medida da qualidade da sua formação profissional. Em abril de 2011, o governo anunciou um plano audaz para criar mais 8 milhões de oportunidades de treinamento vocacional através dos cursos Senac RIO.